EXPOSIÇÕES

Mais que palavras ditas

[ VER CATÁLOGO ]

Esta exposição nasceu de um repto lançado, em Fevereiro de 2019, aos estudantes de Gravura da FBAUP, no sentido de desenvolverem um trabalho que dialogasse com a obra literária de Agustina Bessa-Luís. Estávamos conscientes de que não era um desafio fácil, pois num primeiro momento o universo agustiniano pode parecer demasiado anacrónico e labiríntico aos olhos de jovens formandos em artes plásticas. Mas o fulcro do repto residia exatamente na prova de fogo por que passariam ambos os lados dessa relação erguida como mote para outras formas de leitura de Agustina.

Como ler, e registar o que se lê, para lá das palavras? Como reagir com a força da expressão artística, que não se verga apenas à sua reprodutibilidade técnica, à escrita de quem, como acontece com a autora d’ A Noite da Ronda, sempre esteve interessada em “desinstalar”, e absolutamente convicta da importância dessa inquietação? – “Eu desmarco os outros da rotina, espanto a manada. Depois os efeitos são maravilhosos, combinam com a imortalidade”.

As palavras escritas iriam ficar gravadas. Lidas ou ouvidas, entoadas. Palavras calcadas e decalcadas d’ As Estações da Vida de Agustina Bessa-Luís. Decifradas e repetidas por cada um nas contradições de autoria e matéria mais do que suficiente para ser apenas técnica. Era dito, não podia ser aprender a gravar, ainda que isso fizesse parte. A cada um, pedia-se o desprendimento em relação às matérias, aos protocolos difíceis e ensaiados pela primeira vez, às nomenclaturas, ditas em várias línguas. Começar pelas palavras.

A gravura calcográfica é feita a partir de chapa. Sólida e cinzenta, desfaz-se em pó ou em banhos salinos saturados, borbulha e aquece sob a ação de ácidos. Ganha corpo com as tintas à base de óleo e pigmentos minerais, com uma força e presença, que o desenho não tem. A gravura é tirada da prancha: sacada, espremida ou extraída entre feltros e folhas de papel saturadas de água. Desenhadas, riscadas, sulcadas, granidas, incisas, talhadas, delineadas, cortadas, calcadas, mas sempre impressas, linhas ou manchas carregam a pressão e a intencionalidade. E são gravura.

Abrem-se as imagens a um caminho, também ele, de desencontro e metamorfose. Tudo de uma vez em cima de chapas nunca pegadas, vernizes dos quais se desconhecem os odores e humores, enfumados ou virgens, percorridos a palmo ou retocados a pincel, para esconder as falhas. Também pontas de metal, ou agulhas em tudo diferentes do lápis e da caneta usadas para morder as linhas e granidos onde ficarão depositadas as tintas negras repletas de negros de fumo e óleos. E o que se desconhece, sempre à frente, demasiado, acompanhado ao ritmo das palavras estranhas, que se entranham.

As palavras ouvem-se, por entre provas, onde se ensaiam as deposições supérfluas de tinta ditas veladuras, familiares a quem pinta sobre tela, mas que na gravura, ainda na chapa, se antecipam, como esfregaços. As palavras batem na diferença das ações e nada nos protege da surpresa daquilo que é tirado. Na prova, o desenho insuficiente carrega-se de tinta, cobre as rebarbas bem-vindas quando entendidas na sua função. Através dela, o desenho descobre-se na consistência e viscosidade necessária a cada tipo de técnica. E a tinta, o aliado perfeito, mostra, sobre o papel, os papéis. No seu grão, cor e peso, como os sulcos, incisões ou deposições, afinal a forma encontrada para a imagem e para a definição do território de cada um.

Repetir ainda para traduzir um desenho ou uma fotografia onde não existe um modo neutro. Esquecer e parar de escutar o que a técnica quer ser sozinha. Através dela, falar dos caminhos de ferro em recuo numa Europa em movimento; dos percursos sentidos passo a passo numa cidade onde a sinuosidade do rio marca a liberdade; das linhas verticais como cabelos, sulcados e tingidos de flores colhidas; das ruínas como personagens saídos de filmes nos comboios e diários da rotina; das mensagens com as palavras autografadas onde se confia a força que a presença não tem; das fotografias trasladas da paisagem que se vê e sente estranha; das fotografias de família analisadas nos seus interstícios microscópicos. Tudo maculaturas, cognatos e erros e outros factos.

Esta exposição de gravura, em desdobramento da Jornada Agustina: Outras Leituras, Novas Metamorfoses, surge aqui integrada no ciclo E Contudo, Elas Movem-se! Mulheres nas Artes e nas Ciências, organizado pela Reitoria da UP, em parceria com o Instituto de Literatura Comparada Margarida Losa. Ao mesmo tempo que homenageia, com novas metamorfoses, uma escritora que se moveu magistralmente na Literatura, pretende também mostrar que a Universidade se move entre as suas Faculdades. Ainda quase impercetivelmente, mas move-se.

A new life after a tree /

Uma vida nova

depois de ser árvore

Uma nova vida depois de ser árvore é um projeto artístico organizado pela Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto (FBAUP), i2ADS, o Museu Nacional Soares dos Reis (MNSR), a Associação Portuguesa das Camélias e a Matriz - Associação de Gravura do Porto e com o apoio da Japan Foundation.

Artistas de diferentes geografias como o Japão, a Bélgica, a Polónia, a Letónia e Portugal foram convidados a trabalhar fragmentos de árvore de camélia.

Apesar de não se conhecerem provas documentais que testemunham a chegada das plantas de tsubaki a Portugal, no Norte a camélia é conhecida como japoneira (árvore do Japão). No século XIX torna-se um dos símbolos da cidade do Porto (Cidade das Camélias) e foi disseminada pelos seus jardins e quintas de recreio, evidenciando a ligação cultural e simbólica à espécie Camellia.

A queda natural, no decurso de uma tempestade, de um dos mais emblemáticos espécimes de camélia em Portugal, serviu de base para o desenvolvimento de um diálogo intercultural e transfronteiriço e foi a matriz do processo criativo, quer simbolicamente, quer formalmente, já que, através da reutilização dos seus ramos, a árvore continua o seu percurso numa outra vida.

Fragmentos desta árvore centenária, foram enviados a artistas de Tóquio, Kanagawa, Yamagata, de Antuérpia, de Katowice, de Riga e do Porto, reencontrando-se agora na Exposição do Museu Nacional de Soares dos Reis e do Museu da Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto. Através de uma visão poética, o projeto procura pensar a relação ética com a natureza, a condição transnacional das ações humanas, e o reconhecimento pictórico e artístico de processos ancestrais e transversais, como a gravura a topo.

O projeto artístico envolve artistas, professores, investigadores e estudantes de quatro escolas de arte e tal como uma árvore, desenvolve múltiplos frutos como o seminário Modos de editar: herança e renovação. A genealogia de um jardim, workshop de xilogravura e duas exposições a decorrer na FBAUP (3 de Março a 13 março) e MNSR (28 de fevereiro a 13 de março).

ORG: Departamento de Desenho + Departamento de Artes Plásticas — Pintura + Departamento de Design


28 fev a 13 mar 2020
Museu Nacional Soares dos Reis
+ oMuseu FBAUP

D’après

A convergência entre laboratório/oficina/natural na metodologia Abel Salazar ressoa com o projeto contemporâneo transversal de destituir a natureza do seu estatuto arcádico, sublinhando a sua palpabilidade e subsequente flexibilidade enquanto objeto epistemológico. Nesse sentido, a partir da prática do médico, pintor e gravador português é possível traçar linhas de renegociação com o natural, investindo numa fluidez categórica na construção de uma ecologia dinâmica.

É a partir deste pressuposto que a exposição D’après pretende enquadrar a obra de Abel Salazar, sublinhando a transversalidade de espaços, e metodologias inerentes; a plasticidade do arquivo enquanto instrumento de investigação; a permeabilidade do objeto documental e a constituição do natural enquanto plataforma de especulação e reconstrução ontológica.

A exposição conta com a participação de estudantes de pós-graduação e licenciatura da FBAUP , que durante dois anos, ao abrigo do projecto D’après apoiado pela Reitoria da Universidade do Porto, e numa parceria com a CMAS — Casa Museu Abel Salazar, desenvolveram actividades várias de investigação e criação artística.

ORG: Departamento de Desenho FBAUP

 


6 junho a 24 agosto 2018
Sala de Exposições · Reitoria da Universidade do Porto
Praça de Gomes Teixeira
Inauguração às 18:00

 

Specularis

[ VER CATÁLOGO ]

Specularis, é uma exposição pensada para integrar os diversos estudos e trabalhos realizados em torno da gravura e o do vidro e assim dar a conhecer a colaboração entre diferentes pessoas e suas áreas de interesse tecnológico, na Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto. Ao longo dos anos, e a partir das duas oficinas, juntaram-se esforços para superar a resistência em inovar em contexto académico. E a procura do que está por saber e fazer, a partir dos problemas tecnológicos clássicos ou a verificar novas tecnologias. Sim, na necessidade de olhar para as áreas como um todo, e ensaiar como ultrapassar as dicotomias disciplinares. Entre ver e especular, em vários materiais, equacionando problemas, e a sua natureza de acordo com as mais básicas formas de inscrição e invenção, sucedem técnicas e a circulação entre as oficinas. São estas as experiências filtradas e decantadas a partir da capacidade instalada numa faculdade e entidades parceiras, levada aos limites, que agora se apresentam em exposição.


13 julho a 9 setembro 2018
Museu de Alberto Sampaio
Guimarães
Inauguração às 21:30

PPP workshops

PURE PRINT PORTO, encontro internacional de gravura na sua quinta edição, começa dia 20 de Março na FBAUP. PPP é apenas um PORTO de arranque, para um encontro que segue da cidade do PORTO para PORTO ALEGRE, Brasil, no Instituto das Artes da UFRGS. No primeiro porto, o encontro entre a gravura e a herança gráfica ainda possível numa cidade em rápida mudança e uma proposta intensa de workshops baseados na gravura in situ.
Durante três meses, apostamos nesta fuga à rotina e aos espaços de referência situados em contexto académico, e, na cidade, em lojas- livrarias, encadernadoras, drogarias - sucedem-se os registos do natural, as demonstrações técnicas, as conversas, numa verificação de novos contextos experimentais para a criação da gravura. Pretende-se equacionar o contexto urbano, as suas histórias e as que se cruzam com os contextos geográficos, culturais, históricos, dos formadores que se deslocam ao Porto, num total de sete artistas, provenientes de Kaunas, Lodz, Riga, Wroklaw, Talin.
Neste encontro, propõem-se atividades que testem a difícil relação entre exterior e interior na gravura, e nos seus cruzamentos com o vidro e têxtil, entre exigência de espaços oficinais especializados e a vontade em estabelecer uma relação mais intensa com a rua. O objectivo não se esgota no transformar e recriar o entendimento da gravura pela observação persistente de determinado local. A intersecção com a cidade com a recolha de materiais e processos, propõe uma valorização de uma cultura material numa relação em ensaio constante.

O programa deste encontro inclui :

1. Série de workshops (PURE PRINT -WORKSHOPS) distribuídos ao longo de três meses organizados tematicamente
2. Série de exposições individuais(PRINT PROPOSALS) a partir dos trabalhos dos artistas constantes do programa que se dirijam e confrontem as relações entre as técnicas clássicas da gravura e os diversos contextos experimentais da contemporaneidade
3. Demonstrações abertas (PRINT PROBLEMS) segundo a dinâmica do encontro, de acesso livre, que ao longo dos meses sucedem-se nos vários espaços definidos.
4. Programa complementado por conversas organizadas em torno das exposições individuais e dos cruzamentos tecnológicos e disciplinares da gravura

 

Print Proposals

é uma série de exposições com os artistas convidados no âmbito da Pós-graduação em gravura e programa PURE PRINT PORTO. Guntars Sietiņš & Janis Murovkis, apresentam gravuras .

Para o primeiro , com trabalhos montados em átrio da FBAUP, a mezzotinta impôe-se

"Today the term ‘mezzotint’ has surpassed the boundaries of terminology used within the professional art environment. Maybe not every computer user among the millions of users in the contemporary world will know the mezzotint masterpieces created in the eighteenth century, but many of them will surely have heard at least about the filter mezzotint offered by the image processing software Adobe Photoshop. I use mezzotint technique as a form of expression in my art, not because mezzotint is an end itself, but because mezzotint corresponds to my feelings more than other printmaking techniques. Mezzotint doesn't allow mistakes and focuses my attention. The technological process itself, concentrates my energy that becomes essential part of my work. Furthermore this labour-consuming process is a testing time that proves the viability of the idea. "

em Janis Murovkis, com trabalhos montados nas oficinas de gravura, a serigrafia

"My meditative observation of nature is closely linked to the medium of screen printing. Screen printing adapts to the surface organically and surrenders to the artist’s will, as well as offering accidents as seed capital for a new adventures. The first impulse is non-verbal, recorded in hunches not sketches, while the result manifests itself as the interplay between structure and colour. From a distance, it is reminiscent of urban plans or rural territories, espied during the flight of a bird. Lattices, constellations of stars, galaxies... However, these could just as well be perceived as conscious attempts to capture the elusive, to catch non-text, and give it a certain form with brief sentences, weaving grids within the infinite flow".


21 a 25 maio 2018
Galeria do 1º Andar
Oficinas de Gravura

Print Proposals

é uma série de exposições com os artistas convidados no âmbito da Pós-graduação em gravura e programa PURE PRINT PORTO.

Anna Janusz-Strzyz was born in 1968. Wroclaw. Studies in 1989-94 at the State Academy of Fine Arts in Wroclaw (currently Academy of Fine Arts. Eugeniusz Geppert in Wrocław) .From 1995 works as a teacher in his native university. Currently, the professor leading the Studio of Art Book in the Department of Printmaking at the Faculty of Graphic Arts and Media Art Academy of Fine Arts. Eugeniusz Geppert in Wrocław. In the years 2008 - 2016 she served as head of the Department of Graphic Art. Twice she received the Scholarship Foundation. Tadeusz Kulisiewicza (1993-1994 and 1998-1999) In 1996 she received an award from the Society of Friends of the Earth Lubin at the International Biennial of Graphic Techniques in Metal. In 2005, she received the award - a medal at the International biennial of miniprint and ex libris in Ostrów Wielkopolski. In 2006, awarded in the competition for an illustration of the biblical, "When the word becomes an image", organized by the Publishing House of St. Adalbert in Poznań. Three times was awarded the Rector of the Academy of Fine Arts. E. Geppert Wroclaw for organizational achievement. Since 1992, she presented her work at 28 solo exhibitions and 97 group exhibitions at home and abroad: min. El Grabado Contemporáneo en Europa “Tendencias y perspectivas” Sierra de Cadiz, Spain; "Krakow-Wrocław. Confrontations II Graphics "Gallery" Crypt of the Piarist "ul. Pijarska 2, Kraków; Poska (exhibition dedicated to the memory of prof. Vladimir Kotkowski); "Wroclaw School of Graphics ", Emporium Gallery, Knoxville, USA, part of the exhibition of the Faculty of Graphic Arts and Media Art on the occasion of the Constitution of the Third of May; The Department of Printmaking, ASP Gdańsk, Poland; in Search of New Printmaking. The Polish Case, artzone 461 Gallery; MISSION ART WALK, San Francisco, USA; The Wroclaw School of Printmaking, 2015 Southern Graphics Council International Conference, University of Tennessee, Knoxville, USA; In Search of New Printmaking. The Polish Case, CAA Art Museum, Hangzou, China; Wroclaw School of Graphic Arts, Embassy of Poland, Rome, Italy; the PC Presentation of the Academy of Fine Arts in Wroclaw - the city of the European Capital of Culture 2016, Star Gallery Beijing, China.


8 a 11 maio 2018
Galeria Cozinha

Print Proposals

é uma série de exposições com os artistas convidados no âmbito da Pós-graduação em gravura e programa PURE PRINT PORTO. Sybilla Skałuba & Izabela Łęska, trazem uma perspectiva do Relief Printing Studio/Academy of Fine Arts in Katowice Poland.

Sybilla Skałuba
Ph.D. Sybilla Skałuba Master of Arts, Academy of Fine Arts in Katowice / Poland, Faculty of Graphic Main diploma Printmaking Department at the Academy of Fine Arts in Katowice –Relief printing studio of Prof. . Stanislaw Kluska / Additional diploma in painting. J. Rykały at the Academy of Fine Arts in Katowice – painting studio of Prof. Jacek Rykała / Ph. D. in Arts at the Academy of Fine Arts in Katowice present independent lecturer and Professor Assistant in the relief printing studio of Prof. Mariusz Pałka Printmaking Department at the Academy of Fine Arts in Katowice(Poland) Board Member at the Faculty of Arts, Academy of Fine Arts in Katowice. present Weekend Academy Coordinator for Fine Arts in Katowice. present Vice President of the Association of Friends of Roundabout Gallery in Katowice, present Owner of the BIBU Modern Art Gallery in Katowice

Izabela Łęska
born in 1989, Polish visual artist, PhD student at the Faculty of Art at the Pedagogical University of Cracow. Graduated from the Academy of Fine Arts in Katowice, Poland (diploma with honors in 2013). She studied as well at the École Supérieure d'Art de Clermont Metropole (Clermont-Ferrand, France). She has participated in many projects and exhibitions in the country and abroad (Jeune Création Européenne, Paris / Usb Shuffle Show, Berlin / Passion For Freedom, London). Resident at Institut für Alles Mögliche in Berlin and Centre Culturel Le Beffroi in Paris. Creates graphics, objects and texts. Works at her home university as an assistant in the Department of Graphic Arts. Lives in Katowice, Poland.


8 a 11 maio 2018
Oficinas de Gravura

Print Problems

No âmbito do PURE PRINT PORTO, abrimos as portas das oficinas de gravura numa apresentação dedicada a três variantes de água-forte . A sessão aberta, incide sobre o desenvolvimento de conceitos, a presença do conhecimento tecnológico, a expressão, segundo o discurso e experiência de um gravador convidado: Sebastian Łubiński. As gravuras , os espécimes apresentados, os gestos e as palavras mostram como técnicas se conjugam, e como se tornam problema e aventura. PRINT PROBLEMS: SOAP GROUND, SUGAR LIFT, SOFTGROUND, é também pretexto para colocar duas oficinas em estreita colaboração e diálogo: a Eugeniusz Geppert Academy of Fine Arts and Design in Wroclaw e a Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto. Colaboram nesta apresentação, estudante de doutoramento em estágio na FBAUP, estudante do mestrado em Desenho e Técnicas de impressão, equipa técnica da FBAUP. Os participantes podem assistir a uma demonstração técnica sobre uma das variantes e irão ter acesso aos conteúdos do manual conjunto em execução. Esta sessão marca também a inauguração de novo espaço expositivo dentro das oficinas dedicado a mostrar GRAVURA, criado com a colaboração de Norberto Jorge e Carlos Lima.

PRINT PROBLEMS: SOAP GROUND, SOFT GROUND, SUGAR LIFT, com Sebastian Łubiński
26 abril 2018
14:00
Oficinas de Gravura

Print Proposals

é uma série de exposições na galeria Cozinha com os artistas convidados no âmbito da Pós-graduação em gravura e programa PURE PRINT PORTO. Cada exposição revela o trabalho onde a impressão e as suas várias formas resultam em obra, seja ela um livro, formas criadas em têxtil, vidro, ou papel. O percurso criativo dos artistas, apresenta-se como uma forma de dar a conhecer os contornos possíveis para um campo de actuação de cariz tradicional e inovador, promovendo o conhecimento sobre a gravura. Durante a duração da exposição, cada artista contribuirá com uma sinopse sobre o seu trabalho sob a forma de um cartaz manifesto e uma apresentação na espaço galeria Cozinha.

A obra de Julija Pociute caracteriza-se por dualidade temporal do homem e do seu ambiente. A artista está interessada nos estados intermediários entre a realidade e a imaginação. Um dos meios de gravar a memória- fotografia- trona-se o campo de reflexão filosófica, que no caso da autora normalmente apreende a instalação de vídeo, como uma forma de expressão.

Julija Pociūtė has graduated from the Vilnius Academy of Arts. Since 2006, she has been actively involved in art, constantly participating in group exhibitions and art festivals, has organized many personal exhibitions in Lithuania and abroad. Her works is in the collections of most important European glass art centres: the Glasmuseet Ebeltoft contemporary glass art museum in Denmark and the Royal Glass Factory of La Granja in Spain.


16 a 20 abril 2018
Artists Talk
18 abril · 14:00
Galeria Cozinha

Print Proposals

é uma série de exposições na galeria Cozinha com os artistas convidados no âmbito da Pós-graduação em gravura e programa PURE PRINT PORTO. Cada exposição revela o trabalho onde a impressão e as suas várias formas resultam em obra, seja ela um livro, formas criadas em têxtil, vidro, ou papel. O percurso criativo dos artistas, apresenta-se como uma forma de dar a conhecer os contornos possíveis para um campo de actuação de cariz tradicional e inovador, promovendo o conhecimento sobre a gravura. Durante a duração da exposição, cada artista contribuirá com uma sinopse sobre o seu trabalho sob a forma de um cartaz manifesto e uma apresentação na espaço galeria Cozinha.

Estou interessada em imprimir sobre têxteis no seu sentido mais amplo, desde técnicas antigas até a serigrafia e design.
Comecei a misturar o tradicional shibori Arashi com o conceito de arte moderna à medida que procurei o meu próprio modo de expressão. Este método japonês permitiu-me inúmeras técnicas complexas, como uma forma de tingimento resistente. As peças tridimensionais são feitas de seda tingida, retendo a textura fundamental dos padrões de shibori. A técnica shibori Arashi, tornou-se um impulso subconsciente para encontrar harmonia entre a matéria da seda e a ideia artística.

I am interested in printed textile in their widest sense, ranging from old techniques to screen-printing and design. I find inspiration wherever I am. In my own creative work . I began to mix traditional shibori Arashi with modern concept of art as I searched for my own way of expression. I make my artworks of silk. The Japanese shibori method has given us numerous complex techniques such as shaped resist dyeing. I have used shibori to create unique new surfaces with extraordinary sculptural form. The three-dimensional pieces are made from dyed silk, retain fundamental texture of shibori patterns, they take on abstract shapes. Some are made from performed and cut-out textiles and are shown as illuminated sculptures. My fascination with shibori is also displayed in reliefs, objects and installations. Shibori has become my profession, my obsession, and my life for over ten years now. The shibori Arashi technique, which I used previously, has become a subconscious impulse to find harmony between the silk matter and the artistic idea. As a result I created works which combined fabric and the way it can be used, a vision and reality. I limited my colour range so that the entire attention of the recipient focused on the essence of matter, its processing and the reception of the installation. The individual elements of the mobile composition were arranged in a larger whole, depending on the context of place, time and space.


9 a 13 abril 2018
Artists Talk
11 abril · 14:00
Galeria Cozinha

Print Proposals

é uma série de exposições na galeria Cozinha com os artistas convidados no âmbito da Pós-graduação em gravura e programa PURE PRINT PORTO. Cada exposição revela o trabalho onde a impressão e as suas várias formas resultam em obra, seja ela um livro, formas criadas em têxtil, vidro, ou papel. O percurso criativo dos artistas, apresenta-se como uma forma de dar a conhecer os contornos possíveis para um campo de actuação de cariz tradicional e inovador, promovendo o conhecimento sobre a gravura. Durante a duração da exposição, cada artista contribuirá com uma sinopse sobre o seu trabalho sob a forma de um cartaz manifesto e uma apresentação na espaço galeria Cozinha.

LENNART – JAAK MÄND (MENT)
EAA, Head of Department of Leather Art, Professor
EDUCATION
1998 EAA, Master of Arts
PROFESSIONAL CAREER
2017 Exposition reliure “Les pages bien gardées” en 2017
2017 Bookbinding exhibition Põrgu, Viru Keskuse Rahvaaamatus, Tallinn, Estonia
2017 Exhibition, EKA nahakunst 100, ETDM, Tallinn, Estonia
2017 CIRRUS symposium Vilnius, Lithuania
2016 CIRRUS, symposium, Rovaniemi, Soome
2016 International CAMPER’i workshop “Wearables”, EKA, Tallinn
2016 Workshop “Traditions and Innovations II”, Tallinn, Estonia
2016 HERE Study Visit: Tallinn – 17-19 April, 2016 Learning outcomes and student-centred learning
2016 CAMPER Workshop “Brave New World”, Dongdaemun Design Plasa (DDP), Seoul, South-Korea
2016 AtrEZ-i disaini osakona partnerkoolide ümarlaud, Arnhem, Holland
2016 MUM 16, Old Meets New – Design and Prototyping Workshop, Universty of Lapland, Rovaniemi, Finland
2016 The MUM 2016 conference, Universty of Lapland, Rovaniemi, Fimland
2015 13e Biennale Mondiale de la Reliure d’Art, St Remy Chevreuse, France
2015 international bookbinding exhibition,”Scripta Manent V”, ETDM, Tallinn, Estonia
2015 Bookbinding exhibition“Kaitstud avatus” Kohila Library, Kohila, Estonia
2015 Bookbinding exhibition “Kunstiraamatuid Enn Jaanisoo kogust” Viljandi Town Library, Estonia
2015 Exhibition“Köited” ETDM, Tallinn, Estonia
2015 CIRRUS, sümposium, Reykjavik, Island
2015 Workshop “Traditions and Innovations I”, Rovaniemi, Finland
2014 IDEM 19 design workshop “Connections”, Štaniel, Slovenia
2014 Shakespeare in binding, Estonian National Library, Tallinn, Estonia
2014 Minibook exhibition”Ajastaja” Metso library Tampere, Finland
2014 “Pieces for Peace”, International bookbinding exhibition, Ypres, Belgium
2013 “Scripta Manent IV”, Budapest Apliedart Museum, Hungary
2013 “500 Year’s of Bookbinding Art in Estonia”, JuozasArt gallery, Vilnius, Lithuania
2013 “Переплетение словес”, International Bookbinding Exhibition Literature Museum – Pushkin House, Peterburg, Russia
2013 “Ääremärkused”, Märjamaa Library, Estonia

MEMBERSHIP IN ASSOCIATIONS AND ORGANISATIONS:

Estonian Association of Designer Bookbinders
Estonian Artist’s Union
Tallinn Applied Arts triennial Union
Estonian Institute


19 a 23 março 2018
Galeria Cozinha

d.,inc.,imp.,FECIT

Faz-se Gravura na FBAUP. De muitas formas, com várias fronteiras. Para a exposição seleccionamos desde projectos que estiverem ligados à formação, Casa Soleiro, como projectos de colaboração e prospecção tecnológica com Diogo Tudela, e Graciela Machado, projeto de intercâmbio PLI, projectos de investigação de estudantes de mestrado, livros das oficinas, publicações, com especial destaque para o PPP(Pure Print Publication). Todos estes objectos aos quais se hesita em chamar Gravura, são conjugados no museu e galeria a cozinha da FBAUP para indicar. Como se desenha, grava, imprime, faz enunciado no título, nos termos da Gravura.

Como se conjuga a palavra numa instituição de ensino, investigação e criação. A apresentação de documentos e obras aponta para o fazer e sobretudo a vontade de continuar a desenvolver um entendimento da Gravura nas fronteiras de diferentes disciplinas, novas formas de arte relevantes no futuro. Esta exposição marca o arranque e conta com o apoio da Pós graduação em Gravura na FBAUP que a partir deste ano lectivo irá desenvolver atividades de divulgação sobre a Gravura e promover o cruzamento entre arte e território. O projeto expositivo incorpora as matérias primas – os metais usados nas matrizes – que serão desmantelados e usados nas actividades de ensino.

 

ORG: Departamento de Desenho / Área Gravura


23 outubro a 3 novembro 2017
oMuseu