Práticas interdisciplinares na Gravura

Abordagem por módulos ao pensamento criativo e práticas projetuais. Nesta uc do uso do desenho, ao recurso a várias tecnologias digitais para recolha e tratamento de imagem, estendem-se as ferramentas e testam-se as estratégias que permitem uma apropriação da percepção, experiência e representação na sua intensa relação com o específico de cada media.
A organização por módulos permite a passagem transversal por várias etapas de pesquisa, da definição de tema de trabalho, até selecção de espaços, acompanhada pelo uso de tecnologias analógicas e digitais para recolha de informação. Em paralelo, criam-se vários momentos de aprendizagem sobre sistemas de organização de conteúdos e edição.
A uc baseia-se numa metodologia experimental, e concilia a exploração das virtualidades do desenho, fotografia e escrita, na documentação e análise de conteúdos, até à sua articulação com métodos de mapeamento, documentação e reinterpretação. Na sua estrutura importa ainda das práticas da ilustração, métodos de pesquisa focados na criação de narrativas e sua articulação com métodos de escrita criativa, sendo no último momento testada uma situação historicamente menos abordada e usada na gravura: a gravura do natural. A prática da observação através de vários meios de registo incluirá desenho de observação com recurso a dispositivos e instrumentos auxiliares de registo, desenho de especulação e crítica e criação de gravuras in situ. A uc propõe ainda percursos pela cidade do Porto, mais concretamente através de espaços, que se têm mantido em ‘reserva’ em relação à normal progressão da cidade.
Toda a prática desenvolve-se em como enunciar um pensamento criativo, manter uma reflexão crítica sobre o uso da imagem e ensaiar no sentido prático uma apropriação individual de estratégias e métodos de pesquisa visual oportunos ao projeto.

 

Módulo I - Escrita: Experimentação sobre estilos literários. Da representação do real à ficção.

 

Módulo II - Do uso de dispositivos e instrumentos auxiliares de registo. Desenho: Técnicas perspécticas. Perspectógrafos: velo (intersector), janela translúcida e reticular. Dispositivos ópticos: espelhos, câmara lúcida.

 

Módulo III - Ilustração: Métodos de pesquisa baseados na criação de narrativas a partir de trabalho de campo.

 

Módulo IV - Desenho crítico na cidade: métodos de encenação e gravura do natural. Métodos de transferência, transposição e especulação. Deslocação de dispositivos de apoio à criação de gravura in situ.

OFICINA DE GRAVURA: INTRODUÇÃO E VERIFICAÇÃO

Esta uc fornece uma introdução baseada na prática oficinal aos princípios tecnológicos da gravura: permeografia, planografia, encavografia e relevografia
A partir de demonstrações técnicas e definições terminológicas essenciais, baseadas no exercício aplicado, são identificados meios e suportes, processos, uso de equipamentos. Procedimentos de impressão (as etapas): preparação de matrizes; preparação de tintas; métodos de registo; ferramentas de tintagem; provas e métodos de secagem.
A partir de uma passagem pelas várias tipologias oficinais, estudante aprende e explora os diferentes recursos, ferramentas e modos operativos da litografia, da calcografia, da serigrafia, do relevo, e a partir desta iniciação dá inicio a primeira definição do seu programa de estudos independente.
Introduções básicas aos princípios tecnológicos estruturantes:

1-Pesquisas em torno da impressão directa: frotagem, decalque, transferências

2-Técnicas de relevo: xilogravura. Técnicas de matriz subtractiva e aditiva.
3-Técnicas da calcografia: técnicas direta e indiretas. Talhe doce, água forte (verniz duro e verniz mole), água-tinta, técnica do açucar, spit-bite.
4-Técnicas planográficas: litografia sobre pedra e monotipia.
5-Técnicas permeográficas: técnicas de stencil e serigrafia fotomecânica.

ESTUDOS TECNOLÓGICOS E MATERIAIS

A uc baseia-se num princípio de reconhecimento e recriação de técnicas da gravura de original materialmente presente. A partir do uso de colecções acessíveis em contexto académico como caso de estudo, problematiza-se o objecto impresso segundo aspectos materiais, técnicos, estéticos e históricos numa possível recriação da perspetiva do produtor.
A análise parte do estudo dos materiais e técnicas aí aplicados, usando da cópia, da reinterpretação, da tradução e descodificação. Os métodos aplicados baseiam-se na reconstituição das várias etapas de produção do objetos em estudo, consulta a tratados e manuais da época, cartas e relatos, e acesso direto a oficinas no activo onde tais processos sejam usados.
A cada grupo de estudantes, é proposto um conjunto de espécimes seguido de interpretação sistemática e informada pelo conhecimento científico, artístico, tecnológico à época do original, acompanhada pela identificação de materiais e instrumentos, processos e técnicas aplicados, no sentido da sua revisitação na contemporaneidade. Em cada etapa de trabalho é desenvolvido um conjunto de estudos matriciais de aplicação dos problemas e soluções técnicas apresentados no exemplar em análise .

 

Os conteúdos programáticos assentam nos seguintes conteúdos:

 

- História e contexto da coleção de gravura da FBAUP;
- Preparação de exemplares para estudo: selecção de série de objectos exemplares;
- Identificação técnica, limpeza e conservação dos exemplares;
- Princípios de apresentação e montagem reversíveis aplicados a obra gráfica;
- Estudo sobre as técnicas: estudo de caso baseado em família técnica seleccionada;
- Técnicas e materiais: demonstrações práticas e apresentação dos resultados;
- Consulta a livros de oficinas sobre processo em análise;
- Instrumentos do desenho e da gravura: pontas, chopas, buris, raspador, brunidor, ponta de ágata, berço, roleta;
- Matrizes usadas e técnicas de desenho. Calco e transferência do desenho;
- Mordedura plana e mordeduras consecutivas;
- Variantes de impressão: a monocromia. Retroussage, chine collé;
- Variantes de impressão: a cor. Métodos à boneca, repérage;
- Estudo sobre história e contexto de produção do material original em análise;
- Observação de exemplares de produção contemporânea onde tais técnicas sejam aplicadas;
- Entrevistas a autores e ou impressores sobre modo como aplicam técnicas;
- Análise dos materiais actualmente disponíveis no mercado.

OFICINA DE GRAVURA: CONSOLIDAÇÃO, DESENVOLVIMENTO

Uc dedicada ao desenvolvimento de projeto a partir das competências adquiridas nos módulos introdutórios, assenta em três fases distintas: definição de conteúdo do projeto e temas a desenvolver; validação e verificação; consolidação.

Seminário de arranque destinado a aplicação de estratégias de pensamento criativo.

 

Modulo I - Integrar e verificar os efeitos do uso de diferentes tecnologias no discurso artístico individual. Nesta fase das pesquisas a investigação assenta sobre sistematização oficinal (testes, amostragens e experimentação) e consolidação (aplicação selectiva a produção de portfolio coerente).

 

Módulo II - Neste módulo baseado na concretização prática de projeto de gravura auto proposto, permanecem disponíveis as hipóteses de expansão e experimentação na gravura entendida na sua especialização e/ou porosidade transmedial, de acordo com os interesses individuais do estudante.

 

As oportunidades de ensaio prático, a crescente compreensão conduz ao desenvolvimento de uma prática que irá culminar numa exposição final.

A abertura ao exterior articulada com apresentação de trabalho por autores convidados permite complementar a formação, de um sentido crítico sobre o modo como os artistas, os editores, focalizam ou libertam a produção gráfica dos seus imperativos tecnológicos.

Gravura Expandida

Destina-se a mostrar a relevância da imagem impressa na arte contemporânea, e da importância dos medias e das suas qualidades intrínsecas. A uc, procura mostrar a flexibilidade e acessibilidade dos meios da gravura através de um percurso através de técnicas que testam a sua combinação, apropriação de objectos, impressão em grandes formatos, e em sentido mais lacto, a relação com o espaço e a arquitectura. Do uso de superfícies cerâmicas, passando pelo recurso a materiais e ferramentas e sua reinterpretação no contexto de uma prática artística que procura a inovação, com o conhecimento das relações possíveis com a indústria, verificam-se e os limites tenológicos para a o uso da imagem impressa. Através das sessões demonstrativas, o espectro de contextos artesanais, industriais e artísticos será percorrido, demonstrando a permeabilidade actual de tais contextos a um discurso sobre a imagem impressa, sobre o possível envolvimento com novos materiais, garantindo a cada participante um principio de arranque para os seus projecto futuros.

A unidade curricular desenvolve-se por módulos onde se introduzem desde técnicas de estampagem manual, usados na criação de padrões e preenchimento de superfícies, ao recurso a papéis de transferência artesanais aplicados à cerâmica, vidro e têxtil. Cada processo apresentado é demonstrado e aí verifica-se como parte de técnicas históricas podem ser recriadas em contextos artísticos. A uc dirige também a sua atenção a capacitar estudantes para uma investigação pluridisciplinar no contexto da impressão impressa com capacidade de complementar nas áreas da cerâmica, vidro, têxtil, introduzindo conhecimentos e capacidade técnica, científico e artístico para o desenvolvimento de projetos multidisciplinares que estimulem a cooperação e dinamização de áreas identitárias de criação nacional.

A uc permite estudar e compreender a especificidade de cada material, não só por questões de ordem técnica, mas também para permitir melhor qualidade plástica e expressiva

Prática profissional

Esta uc destina-se a desenvolver competências académicas de publicação e disseminação da prática artística numa simulação e/ou concretização de projeto criado em torno de modelos de publicação, exposição ou workshop. Do planeamento à identificação de parceiros e espaços, trata-se de identificar um tema e aprender a usar de diferentes recursos e ferramentas para o concretizar.
Consideram-se como casos a estudar, desde a exploração de estratégias de produção de exposição até formatos de publicação em regime de auto-edição, ou a elaboração de programa formativo a partir de oficina, galeria, museu.
A partir do específico de cada programa individual, estudante elege a situação concreta que pretende desenvolver e qual o modelo de trabalho. Durante o curso, são examinadas as ferramentas e métodos que permitem reunir informação e ideias, das abordagens académicas específicas ao trabalho oficinal em gravura, a trabalho de campo, experimentação com protótipos, produção e pós-produção.
O curso permite que a prática e a produção de conteúdos se concretizem a partir de contexto real complementando a formação num reconhecimento directo e experiência em primeira mão da arena profissional. Cabe ao estudante a selecção da modalidade a desenvolver e de acordo com esta considerar os tipos de espaços, plataformas, e tipos de publicação/exposição necessários ao desenvolvimento dos seus interesses e ideias.
O acesso aos contextos profissionais, da publicação independente, a oficinas de edição no ativo, coleções e museus, com particular insistência no uso das ferramentas e modos operativos da área da gravura, serão continuamente estimulados. Já as sessões de trabalho integram experimentação tecnológica e aspectos metodológicos diretamente relacionados com o problema. Nesta unidade curricular promove-se uma compreensão do papel do artista como responsável por todo o processo, desde a conceção, design e produção, incluindo a disseminação. Daí a integração de todas as etapas de definição de projecto, a insistência no apetrechamento tecnológico e concetual e construção de um discurso visual e escrito coerente.
Nesta uc estabelece-se o contacto com várias oficinas e estruturas de apoio à divulgação e produção da gravura de âmbito nacional.